Para países ricos, Al-Qaeda ainda é ameaça

Apesar da destruição da maior parte de suas bases no Afeganistão, a rede extremista Al-Qaeda ainda constitui uma séria ameaça, com células dormentes e agentes "sempre prontos para agir", diz um comunicado produzido após reunião de ministros da Justiça e do Interior do Grupo dos Oito (G-8). O comunicado alerta também para o risco da utilização de armas químicas, biológicas e nucleares pelos membros da rede liderada pelo milionário saudita no exílio Osama bin Laden. "Precisamos estabelecer caminhos para antecipar e responder a tais ameaças", disseram os ministros do G-8, grupo de nações composto pelos sete países mais industrializados - Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália, Japão - e pela Rússia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.