Saeed Khan / AFP
Saeed Khan / AFP

Para premiê da Austrália, casos de morangos com agulhas são ‘terrorismo’

Notícia desencadeou uma onda de pânico em diversos Estados do país; segundo jornal local, um jovem foi preso após admitir que colocou os objetos nas frutas, mas a informação ainda não foi confirmada oficialmente

O Estado de S.Paulo

19 Setembro 2018 | 09h35

SYDNEY, AUSTRÁLIA - O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, qualificou como "terrorismo" os casos registrados no país de morangos que continham agulhas. A notícia desencadeou uma onda de pânico em diversos Estados.

O premiê também pediu aos australianos que preparem bolos de morango para ajudar os agricultores, e propôs uma mudança na legislação para que os autores do crime possam ser condenados a até 15 anos de prisão.

As autoridades informaram que registraram quase 20 morangos com agulha dentro. Os supermercados retiraram as frutas das prateleiras, e muitos produtores destruíram suas colheitas e determinaram uma paralisação dos funcionários.

"Não estamos brincando", disse Morrison. "Não é aceitável", completou ele, antes de qualificar o autor do crime como "covarde".

Na Nova Zelândia, alguns mercados deixaram de vender morangos australianos. A polícia anunciou que está procurando o autor do crime e cogita aumentar o valor da recompensa por informações sobre o caso.

Suspeito

Um jovem foi preso nesta quarta depois de admitir à polícia do Estado de Nova Gales do Sul que colocou agulhas nos morangos, segundo o jornal australiano The Australian. Contudo, a informação ainda não foi confirmada oficialmente. O suspeito teria dito que se tratava de uma "brincadeira". / AFP

 

Mais conteúdo sobre:
terrorismo Austrália [Oceânia] Morango

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.