Para premiê francês, guerra pode rachar comunidade internacional

O primeiro-ministro da França, Jean-Pierre Raffarin, alertou hoje que o lançamento de uma ofensiva militar contra o Iraque sem a exaustão dos esforços pacíficos poderia dividir a comunidade internacional e "ser entendida como precipitada e não-legítima". Durante debate sobre o Iraque no Parlamento francês, Raffarin afirmou que a França permanece comprometida com a idéia de reforçar e dar continuidade as inspeções de armas no país. "Uma intervenção militar hoje, ainda sem exploração de todas as chances de solução pacífica, poderá dividir a comunidade internacional", disse Raffarin durante seu discurso, o qual foi aplaudido pelos parlamentares. "A guerra poderia levar a uma onda de incompreensão e suspeita, e enfraqueceria a coalizão internacional contra o terrorismo". Rafarin reiterou que a França não apoiará a resolução apresentada pelos EUA segunda-feira as Nações Unidas. Ele não deixou claro se utilizará seu poder de veto para bloquear uma resolução ou se o país se absteria do voto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.