Para presidente chinês, política e Jogos não se misturam

Em rara entrevista para correspondentes, Hu Jintao pede que jornalistas sejam objetivos e obedeçam regras

Associated Press e Efe,

01 de agosto de 2008 | 08h01

Uma semana antes do início dos Jogos de Pequim, o presidente Hu Jintao disse nesta sexta-feira, 1, que a importância das competições e o aprimoramento das relações de amizade entre as nações, e não as disputas políticas, determinarão se as Olimpíadas serão um sucesso. Em uma rara entrevista coletiva para a imprensa estrangeira, a primeira em 5 anos, Hu afirmou repetidamente que a China tem a intenção de ressaltar o desejo de paz, amizade e interação com o resto do mundo. Enquanto não fez menções diretas às controvérsias sobre as denúncias contra violações de direitos humanos e relacionadas à censura da cobertura da imprensa, o presidente chinês menosprezou que os temas políticos durante os Jogos e pediu aos jornalistas que cumpram as lei chinesas e que sejam objetivos. "Esperamos que os jornalistas estrangeiros, enquanto estiverem na China, respeitem nossas leis e regras, cubram o evento objetivamente e ajudem na comunicação e no entendimento entre a China e as pessoas do mundo". "Continuaremos facilitando estruturas e meios para que os repórteres estrangeiros trabalhem e fortaleçam o conhecimento", disse Hu ao grupo de 25 veículos de comunicação internacional, que enviou previamente suas perguntas - selecionadas pelo governo para serem ou não respondidas. Hu também se referiu à politização dos Jogos Olímpicos. "É inevitável que existam diferenças, porém as consultas estreitam diferenças. Politizar os Jogos não é útil e vai contra aspirações dos povos, já que além de não ajudar a resolver os assuntos, mina o espírito olímpico".

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008Olimpíadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.