Para presidir banco dos Brics, País abre mão de abrigá-lo

O governo brasileiro quer a primeira presidência do banco dos Brics. O País abriu mão de ser a sede, apoia as pretensões chinesas de ver a instituição instalada em Xangai e já apresentou um nome, ainda mantido em sigilo, para o principal cargo do novo banco.

Lisandra Paraguassu, Tânia Monteiro, João Villaverde, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2014 | 02h03

O interesse brasileiro, também apoiado pelos chineses, é conduzir o banco nos cinco primeiros anos, quando as principais políticas e processos de funcionamento e concessão de empréstimos serão definidos.

O New Development Bank (Novo Banco de Desenvolvimento) terá o slogan "O Banco para Um Novo Desenvolvimento", reforçando que privilegiará projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.