Para príncipe saudita, seqüestro de petroleiro é ultrajante

O ministro das Relações Exteriores da Arábia Saudita, príncipe Saud Faiçal, qualificou como ultrajante o seqüestro do superpetroleiro MV Sirius Star por piratas somalis e declarou hoje, em Atenas, que seu país unirá forças a uma campanha internacional para erradicar a pirataria. O superpetroleiro foi capturado no sábado na costa do Quênia e está sendo levado para o porto somali de Eyl, uma das principais bases dos piratas do mar no país africano.Nos primeiros comentários do governo saudita sobre o ataque, o príncipe Saud Faiçal qualificou a pirataria como um problema complexo que exige uma reposta internacional. "Este ato ultrajante perpetrado por piratas, penso eu, apenas reforçará a determinação dos países do Mar Vermelho e do resto do mundo para combater a pirataria", declarou o chanceler saudita. "A pirataria é contra todos. Assim como o terrorismo, trata-se de uma doença que deve ser erradicada."Os compartimentos de carga do navio estão repletos de petróleo. O valor da carga é estimado em US$ 100 milhões. Segundo o proprietário do superpetroleiro, os 25 tripulantes a bordo estão bem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.