Para Rússia, relação com os EUA é alarmante

Governo afirma que não existem ´ânimos antiamericanos", apesas de diferenças

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 13h10

O ministro de Assuntos Exteriores russo, Serguei Lavrov, afirmou nesta quinta-feira, 21, que as relações entre a Rússia e os Estados Unidos causam preocupações no mundo."No mundo há preocupação com a situação criada" nas relações russo-americanas, disse Lavrov em um discurso no Centro Carnegie de Moscou, segundo a agência oficial russa Itar-Tass.O chefe da diplomacia russa reconheceu que há "diferenças" nos objetivos de política externa dos dois países e ressaltou que a Rússia, "por nenhum motivo, cairá em uma ideologização, e menos ainda se esta provém do exterior"."Outro formato de relações com os EUA que não seja o decooperação em igualdade para nós é inadmissível", ressaltou. Lavrov destacou, no entanto, que na Rússia não há "ânimos antiamericanos, como ocorre em alguns países".Lavrov também afirmou que a Rússia quer discussões mais amplas sobre um importante pacto de armas, depois que conversas em Viena neste mês terminaram em impasse. O chanceler disse que "ninguém se opõe à liderança de qualquer potência que esteja disposta e tenha capacidade para isso". Lavrov acrescentou que "é imprescindível escutar um ao outro".O ministro disse que os povos russo e americano não perderam sua capacidade de surpreender uns aos outros, embora até agora cada um aja separadamente."Por que não podemos fazê-lo juntos?, perguntou Lavrov, que assegurou que a única coisa que Rússia e EUA têm que compartilhar é a "responsabilidade pelos destinos do mundo".

Mais conteúdo sobre:
RússiaEUArelação alarmante

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.