Para Saddam, inspeções são chances de provar "mentiras? dos EUA

O presidente do Iraque Saddam Hussein pediu hoje ao povo para apoiar as novas inspeções de armas da ONU por serem uma oportunidade de provar que são mentirosas as alegações dos Estados Unidos de que o país tem armas de destruição em massa. A Casa Branca descartou rapidamente a declaração, afirmando que elas carecem de credibilidade. O presidente George W. Bush, perguntado se os EUA caminham para uma guerra disse: "Essa é uma pergunta que vocês deveriam fazer a Saddam Hussein". Numa saudação a líderes iraquianos na festa muçulmana de Eid el Fitar, Saddam disse que concordou com as inspeções, inclusive em seus palácios, "para proteger o povo" das ameaças dos EUA. As declarações de Saddam constrataram com as feitas ontem pelo seu vice-presidente. Taha Yassin Ramadan havia acusado inspetores da ONU de serem espiões americanos e israelenses e de terem promovido busca num palácio de Saddam como provocação. Saddam falou numa reunião da liderança de seu partido, Baath, e de militares iraquianos, na primeira manhã do feriado muçulmano de três dias do Eid el Fitar. Ele denunciou a "injusta, arrogante, corrompida tirania americana". Bush ameça um ataque contra o Iraque se, na visão dos EUA, o país não cooperar com o esforço de desarmamento. Sobre uma eventual guerra, Saddam declarou: "Temos de tomar a posição que atenda nosso povo, nossos princípios e nossa missão. A vitória será nossa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.