Para Schroeder, sanções ao Iraque "não têm mais sentido"

O chanceler alemão, Gerhard Schroeder, deu um apoio limitado ao pedido americano para suspensão, por parte do Conselho de Segurança da ONU, das sanções impostas em 1990 ao Iraque. Depois de encontro com o secretário de Estado americano, Colin Powell, Schroeder disse que diante da evolução dos acontecimentos na região, a punição "não faz mais sentido."O chanceler alemão não disse, no entanto, se aprovava o texto da nova proposta de resolução apresentada na quinta-feira ao Conselho de Segurança pelos EUA. No documento, a Casa Branca confere papel mais expressivo à ONU na reconstrução do Iraque, mas ainda reserva amplos poderes sobre aquele país para os EUA e a Grã-Bretanha.O chanceler alemão, a exemplo do governo francês, se opôs categoricamente à invasão anglo-americana do Iraque. A declaração de hoje foi apontada como uma tentativa de reaproximação."Mantivemos um diálogo franco e cordial, como é normal a dois países amigos e aliados", disse Powell. Ele ressaltou que espera ver aprovada a nova resolução na próxima semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.