Para superar crise, Lugo ameaça Congresso com consulta popular

O presidente do Paraguai, o ex-bispo Fernando Lugo, advertiu na noite de quarta-feira que pode convocar uma consulta popular para resolver a crise criada no Senado por causa da disputa em torno do juramento como senador de seu antecessor, Nicanor Duarte, do Partido Colorado. A declaração foi interpretada pela oposição como uma ameaça de convocar novas eleições para o Legislativo. Lugo assumiu o poder no dia 15, mas não consegue levar seus projetos de lei para discussão. No que está sendo visto como a primeira crise institucional de seu governo, o Congresso do país está há mais de um mês sem legislar porque os senadores governistas querem boicotar a posse de Duarte - cuja legalidade é contestada. "Suponhamos que esse Congresso passe dois, três meses sem funcionar. Perguntarei aos cidadãos: ?Este é o Congresso que vocês elegeram? É o comportamento que nós, paraguaios, merecemos? Um Congresso que está sendo pago e não funciona??", declarou Lugo, em entrevista à rede de TV local Telefuturo. "Preciso de um Parlamento sério. Estamos perdendo tempo ao não debater os grandes temas nacionais como a luta contra a pobreza." Ontem, porém, o próprio ministro do Interior, Rafael Filizzola, disse que um mecanismo para consultar a população sobre se o Congresso deve ter seu mandato interrompido não é contemplado na Constituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.