Para Unicef, crianças iraquianas já sofrem com a guerra

Crianças e adolescentes do Iraque já estão sofrendo os efeitos sociológicos e materiais de uma possível guerra, afirmou o representante do Unicef para Argentina, Chile e Uruguai, Egidio Crotti. O funcionário falou da situação de estresse pré-guerra e indicou que é difícil a recuperação emocional dos meninos expostos a um conflito bélico. Crotti disse também que alguns estudos afirmam que a guerra produz um impacto sociológico irreversível e que "por este motivo, o Unicef já se encontra trabalhando com as crianças iraquianas". Para Crotti, a incerteza sobre quando ocorrerá o conflito, quanto durará e como será gera medo e angústia na população civil, mas principalmente nos mais jovens. O Unicef conta com equipes percorrendo colégios e hospitais no Iraque para detectar e tratar os danos psicológicos derivados desta situação, afirmou o funcionário da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.