Andrés Cristaldo/Efe
Andrés Cristaldo/Efe

Paraguai convoca eleições para 21 de abril de 2013

Presidente da Justiça Eleitoral afirmou que anúncio prova que o processo democrático não foi interrompido

AE, Agência Estado

21 de agosto de 2012 | 15h49

ASSUNÇÃO - Mais da metade dos cerca de 6 milhões de paraguaios irão às urnas em 21 de abril de 2013 para eleger seus novos governantes, anunciou nesta terça-feira, 21, a Justiça Eleitoral do Paraguai. "Temos atualmente 3,42 milhões de pessoas habilitadas a votar e no fim de outubro podemos chegar a 3,5 milhões de eleitores, sendo que cerca de 20 mil são compatriotas morando no exterior", declarou o presidente da Justiça Eleitoral paraguaia, Alberto Ramírez, em entrevista coletiva concedida em Assunção.

Veja também:

link Franco propõe referendo sobre Mercosul

link Franco sobe tom visando à eleição de 2013

Os paraguaios elegerão presidente, vice-presidente, 45 senadores, 80 deputados, 18 parlamentares do Mercosul e 17 governadores para mandatos de cinco anos. Cerca de 400 observadores internacionais foram convidados para acompanhar o processo, entre eles entidades como a Organização dos Estados Americanos (OEA) e a União Europeia (UE).

O atual presidente paraguaio, Federico Franco, governará o país até 15 de agosto de 2013, quando expiraria o mandato de Fernando Lugo, deposto em junho pelo Senado do país.

A deposição em rito sumário levou à suspensão do Paraguai por seus parceiros em organismos como o Mercosul e a União de Nações Sul-Americanas (Unasul). "Insinuou-se que este governo não iria organizar as eleições de abril ou que teria a intenção de adiar sua realização e ficar um pouco mais de tempo no poder, mas hoje damos a prova de que o processo democrático iniciado em 1989 deve avançar e fortalecer-se", declarou Franco em entrevista coletiva.

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.