Paraguai: Franco quer referendo sobre o Mercosul

O presidente do Paraguai, Federico Franco, propôs nesta terça-feira que seu país realize um referendo para que a população decida se deseja continuar a fazer parte do Mercosul ou deixar definitivamente o bloco comercial. Franco, em declarações ao diário Ultima Hora de Assunção, disse que o referendo poderá ser realizado em 21 de abril de 2013, quando o Paraguai terá eleições presidenciais e gerais. Franco assumiu a presidência em 22 de junho, quando o ex-presidente Fernando Lugo foi destituído pelo Congresso em processo de impeachment.

AE, Agência Estado

14 de agosto de 2012 | 19h25

O Paraguai foi suspenso do Mercosul após a destituição de Lugo. A União de Nações Sul-americanas (Unasul) também suspendeu o país. Franco disse hoje que o Mercosul virou "um clube ideológico de amigos". "Nós estamos com a Organização de Estados Americanos (OEA), onde eles são mais democráticos", disse Franco. Segundo ele, a Unasul "não interessa".

O Mercosul, bloco comercial originalmente formado por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, foi criado pelo Tratado de Assunção em 1991. Após a destituição de Lugo, tanto Mercosul quanto Unasul aplicaram sanções políticas, embora não econômicas, ao Paraguai. Já a OEA não tomou ainda uma postura definitiva sobre a situação política paraguaia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.