Paraguaio acusa Pinochet de elaborar Operação Condor

O advogado paraguaio Martín Almada acusou hoje o general Augusto Pinochet de montar a Operação Condor, um plano repressivo arquitetado pelas ditaduras militares na região visando o extermínio dos opositores esquerdistas nos anos 70. Almada se apresentou voluntariamente, na capital chilena, diante do juiz Juan Guzmán, que investiga as redes da Operação Condor no Chile e em outros países do Cone Sul. O advogado acrescentou diante dos jornalistas que Pinochet idealizou a operação junto com o chefe de sua polícia repressiva, o hoje reformado general Manuel Contreras. As polícias secretas da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai atuaram coordenadamente no Cone Sul, segundo documentos descobertos por Almada em uma delegacia de polícia paraguaia, documentos estes conhecidos como "arquivos do terror". O advogado disse que enquanto estava detido como prisioneiro político em Assunção, capital paraguaia, em 1974, ele foi interrogado por policiais chilenos - fato que depois o levou a investigar o papel de estrangeiros na repressão local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.