Paramilitares colombianos querem drogas, diz embaixador

O embaixador americano na Colômbia acusou as milícias paramilitares de direita de estarem mais interessadas no tráfico de drogas do que na paz. Essas milícias vêm negociando um acordo de desarmamento e desmobilização com o governo. Os comentários do embaixador William Wood vêm depois da morte de um líder paramilitar e do desaparecimento de outro - ambos vistos como fortes opositores do envolvimento das milícias com o narcotráfico. ?Parece-me que não há um movimento em direção à paz, mas em movimento em favor do tráfico de drogas?, disse Wood, referindo-se ao movimento Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC). O desaparecimento do co-fundador das AUC, Carlos Castaño, e o recente assassinato de Carlos Mauricio Garcia, conhecido como ?Duplo Zero?, foram vistos como sinal de que o poder nas AUC está passando para as mãos dos traficantes. As autoridades colombianas comprometeram-se não tentar prender os líderes paramilitares enquanto eles estiverem na área de 368 quilômetros quadrados designada como ?santuário? para as negociações de paz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.