Paramilitares de direita desarmam-se na Colômbia

Cerca de 450 paramilitares de direita abandonaram os campos de batalha de Colômbia hoje, ao entregar as armas e pedir reintegração na sociedade civil. Vestindo fardas camufladas e botas de borracha, os membros do "Bloco Banana" das Autodefesas Unidas da Colômbia, ou AUC, cantaram o hino nacional e depuseram centenas de rifles, lançadores de granadas e morteiros. "Recuperamos a esperança", disse o comissário de paz do governo, Luis Carlos Restrepo.A cerimônia completa a dissolução do bloco, que por mais de uma década controlou boa parte da principal região produtora de bananas da Colômbia, no Estado de Antioquia. O comandante das AUC, Salvatore Mancuso, disse em discurso que os paramilitares estão prontos para "perdoar nossos inimigos e pedir à sociedade que nos receba em seu seio e acredite em nossa decisão de nos livrarmos da guerra".Os combatentes agora serão levados a uma propriedade rural onde o governo analisará a situação legal, de saúde, de educação e de empregabilidade de cada um. Críticos do processo de paz, porém, lembram que não há nada que impeça os paramilitares a se reorganizarem sob uma nova denominação e voltarem à guerra e ao tráfico de drogas. As AUC estão na lista de organizações terroristas do governo dos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.