REUTERS/Nacho Doce
REUTERS/Nacho Doce

'Parem com as festas', adverte governo da Catalunha aos jovens

Líder do governo regional decretou fechamento de boates e impôs horário limite para o funcionamento de bares e restaurantes após aumento no número de casos de coronavírus

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2020 | 11h00

BARCELONA - Os jovens da Catalunha devem parar de sair à noite e festejar para conter o aumento de novos casos de covid-19 na Espanha. É o que disse nesta segunda-feira, 27, o líder regional do território espanhol, Quim Torra, sob ameaça de restabelecer um 'lockdown' na região onde os casos mais avançam. Os novos casos na Catalunha passaram de 3.500 para pouco mais de 5.500 em uma semana.  

"Se continuarmos com nossa vida social no ritmo atual, a única coisa que vamos conseguir é piorar a situação", disse Torra. A declaração foi dada após jovens catalães retomarem uma tradição chamada "botellones", que envolve sair à noite, beber e ir para festas.

O "costume" foi citado nominalmente pelo político. "Fazer 'botellones' mostra uma falta de solidariedade", disse Torra em uma coletiva de imprensa. A Catalunha se transformou no maior foco de novos casos do novo coronavírus na Espanha após o relaxamento das medidas de isolamento social no mês passado. A universidade americana Johns Hopkins aponta que a Espanha já registrou mais de 272 mil casos e 28 mil mortes por covid-19 desde o início da pandemia.

De acordo com o governo espanhol, os jovens estão entre os grupos com a maior taxa de infecção no período pós-lockdown. A preocupação agora é, principalmente, que esse contágio leve o vírus a membros do grupo de risco. Apesar do discurso, o presidente regional também fez uma sinalização aos turistas, dizendo que a Catalunha adotou medidas robustas para preservar a saúde de sua população e de seus visitantes e que está "pronta para receber todos os turistas."

Antes, por causa do retorno da doença, autoridades francesas, belgas e alemãs pedirem publicamente que seus cidadãos não viajassem para a região. Entre as medidas de contenção, o governo ordenou o fechamento de todas as boates, enquanto bares e restaurantes terão que fechar à meia-noite em dezenas de cidades, incluindo Barcelona. Também foi recomendado que cerca de 4 milhões de pessoas fiquem em casa e só saiam para atividades essenciais.

Na maior parte da Catalunha - que em 2019 se tornou a região mais visitada por turistas estrangeiros - o número de infecções é agora similar ao registrado antes da Espanha decretar lockdowm em março. Medidas mais restritivas podem ser impostas se a situação não melhorar em 10 dias, disse Turra. "Estamos enfrentando os 10 dias mais decisivos do verão. Nós estamos em uma situação crítica. Está nas nossas mãos prevenir que a situação piore."

A basílica da Sagrada Família, em Barcelona, pode sofrer uma multa, acrescentou ele, depois de realizar uma missa no fim de semana que excedeu o número permitido de participantes./ REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.