Parentes das vítimas de acidente vão à Ucrânia

Parentes das vítimas do desastre aéreo que causou 170 mortes no leste da Ucrânia, na terça-feira, vão embarcar nesta quarta-feira num vôo especial de São Petersburgo à cidade ucraniana de Donetsk para identificar os corpos, segundo a companhia aérea russa Pulkovo, à qual pertencia o avião TU-154 acidentado.A saída do vôo com os parentes das vítimas estava prevista para as 12h (5h de Brasília), mas foi adiado.Segundo a Pulkovo, o avião acidentado, que fazia o vôo 612, entre o balneário russo de Anapa e São Petersburgo, transportava 170 pessoas, sendo 10 tripulantes e 160 passageiros, 45 deles crianças.O avião caiu num local de difícil acesso, 45 quilômetros ao norte de Donetsk, cidade no leste da Ucrânia.As autoridades ucranianas declararam nesta quarta-feira dia de luto nacional em memória das vítimas da catástrofe. Na Rússia, o luto oficial foi marcado para quinta-feira.Segundo o Ministério para Situações de Emergência da Rússia, o TU-154 desapareceu das telas dos radares dois minutos depois de seus pilotos enviarem uma mensagem de socorro.O chefe do Serviço Federal de Aeronavegação russo, Alexandr Neradko, declarou que o avião caiu após entrar numa "zona de fortes turbulências". Outras fontes admitiram a hipótese de o TU-154 ter sido atingido por um raio.As equipes de resgate que trabalham no local acharam duas das caixas-pretas. Uma delas tem a gravação das conversas dos pilotos, segundo o ministro de Transporte da Rússia, Igor Levitin. Ele não soube informar o estado dos dois aparelhos.O TU-154, um trimotor lançado em 1972, é um dos modelos mais vendidos da fábrica Tupolew. Na época, foi visto como a resposta soviética ao Boeing 727 americano e ao Trident britânico.Em sua última versão, o TU-154M, o avião transporta de 164 a 180 passageiros, a uma velocidade de 850 a 900 km/h e 11 mil metros de altitude em vôo de cruzeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.