Parentes das vítimas de atentados nos EUA querem US$ 1 trilhão

Parentes de vítimas do atentado de 11 de setembro nos EUA entraram na Justiça exigindo indenização de US$ 1 trilhão de empresas e entidades de caridade acusadas de terem contribuído a financiar a rede Al Qaeda, de Osama bin Laden. A ação judicial foi impetrada no tribunal federal do distrito de Columbia (EUA). De acordo com a emissora britânica BBC, entre os acusados está o Sudão, membros da família real sudanesa e várias entidades de caridade islâmicas, além de sete instituições financeiras e da empresa de construção da família de Bin Laden, sediada na Arábia Saudita. A BBC informou que mais de 600 parentes, bombeiros, policiais e equipes de socorro estão exigindo o dinheiro para "forçar os patrocinadores do terror a vir à luz e submetê-los à lei", segundo a ação judicial. De acordo com a emissora, os advogados contratados pelos parentes das vítimas também acusam os EUA de errar, ao não perseguir, rapidamente e de maneira eficiente, as instituições envolvidas no atentado, em virtude dos lucrativos interesses petrolíferos que beneficiam os EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.