REUTERS/Amr Abdallah Dalsh
REUTERS/Amr Abdallah Dalsh

Parentes das vítimas do avião da EgyptAir aguardam angustiados por notícias

Diplomatas e responsáveis da companhia aérea se reuniram com as famílias para tentar responder aos questionamentos

O Estado de S. Paulo

20 Maio 2016 | 14h49

CAIRO - Os parentes das vítimas do avião da EgyptAir que caiu na quinta-feira no Mar Mediterrâneo esperam nesta sexta-feira, 20, no Cairo comovidos e angustiados por mais notícias sobre as circunstâncias do acidente.

Diplomatas e responsáveis da companhia aérea se reuniram com as famílias, que estão hospedadas em um hotel no Aeroporto Internacional do Cairo, para tentar ajudá-las e responder aos seus questionamentos.

Na entrada do hotel Novotel, o embaixador francês no Eigot, André Parant, disse aos jornalistas que os parentes das vítimas "estão em choque e chorando". Ele se encontrou com várias famílias das 66 pessoas que viajavam a bordo do Airbus A320 de Paris ao Cairo, e reconheceu que são "momentos muito difíceis e dolorosos".

"Fazem perguntas sobre o acidente, sobre as circunstâncias desta catástrofe, e por enquanto não podemos dar respostas precisas", acrescentou.

Entre os passageiros, havia 30 egípcios e 15 franceses, além de 2 iraquianos, 1 britânico, 1 belga, 1 português, 1 canadense, 1 argelino, 1 saudita, 1 sudanês, 1 chadiano e 1 kuwaitiano. Entre eles, havia um casal franco-argelino com um filho de 2 anos e um bebê, e um empresário egípcio que iria viajar na sexta-feira e adiantou o voo, segundo a imprensa local.

Segundo o embaixador, os parentes perguntam se há ainda esperança, se os corpos serão recuperados e se o que aconteceu foi um acidente ou um atentado terrorista.

"As famílias sempre têm esperança de que vão encontrar sobreviventes, mas esperam o pior. Sobretudo o que querem agora é conseguir respostas", disse o diplomata francês.

Parant não quis comentar as declarações do ministro egípcio de Aviação Civil, Sharif Fathi, que indicou que a hipótese do atentado é a mais provável.

"Não há elementos nesta etapa para se decidir por uma versão definitiva (...). O importante é que parece que localizamos o lugar no qual caiu o avião, vamos poder recuperar em breve as caixas-pretas, o que permitirá oferecer respostas às perguntas sobre as causas da catástrofe", afirmou.

Os presidentes do grupo EgyptAir, Safwat Musalam, e da companhia aérea, Hisham el Nahas, também se reuniram com parentes dos passageiros e com a tripulação para informar sobre as últimas novidades. A empresa aérea explicou em comunicado que está proporcionando às famílias seu "pleno apoio e assistência". /EFE

Mais conteúdo sobre:
acidente aéreoEgitoEgyptAir

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.