Parentes de reféns das Farc ocupam a Catedral de Bogotá

Parentes de militares e políticos seqüestrados pela guerrilha colombiana iniciaram um protesto que consiste em permanecer por tempo indeterminado dentro da Catedral de Bogotá. Os manifestantes exigem que o presidente Alvaro Uribe feche um acordo humanitário com os grupos guerrilheiros que permita pôr um fim ao cativeiro dos reféns.Cerca de 20 adultos e cinco crianças encontram-se reunidos na catedral, entre eles Yolanda Pulecio, a mãe da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, que foi seqüestrada pelas Farc em fevereiro de 2002. Enquanto o governo negocia com os paramilitares e, de forma informal, com o Exército de Libertação Nacional (ELN), os contatos com as Farc são praticamente nulos.Os familiares dos seqüestrados afirmam que Uribe lhes deu sua palavra de trabalhar por um acordo humanitário. "Como colombianos exigimos respeitosamente, mas com firmeza, que o senhor presidente cumpra com sua promessa", afirma o comunicado do grupo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.