Reuters TV
Reuters TV

Parentes de suspeitos divergem sobre envolvimento deles no atentado

Tio de Tamerlan e Dzhokhar diz sentir 'vergonha' enquanto pai acredita na inocência dos dois filhos

O Estado de S. Paulo,

19 de abril de 2013 | 13h03

(Atualizada às 17h07) BOSTON - Parentes dos dois suspeitos de terem cometido o atentado que deixou três mortos e 176 feridos na Maratona de Boston divergem sobre a particpação dos irmãos no caso. Enquanto o tio de Tamerlan e Dzhokhar diz não ter relação com eles, o pai e a tia dos garotos acreditam na inocência de ambos.

Ruslan Tsarni, tio dos suspeitos, classificou o ataque, em uma entrevista coletiva nesta sexta-feira, 19, como "uma grande tragédia". Ele afirmou que não tinha mais contato com os dois há meses e pediu que Dzhokhan se entregue e peça perdão. "Estamos em choque, mas minha família não tem nenhuma relação com isso."

Tsarni também disse estar envergonhado com tudo o que aconteceu e que seu irmão - pai dos dois suspeitos - não lhes deu esse ensinamento. "É claro que é uma vergonha, são os filhos do meu irmão. Alguém pode até ter desviado os dois (suspeitos), mas não foi meu irmão, que passou a vida levando pão para a mesa de casa."

Antes de concluir a entrevista, Tsarni disse viver nos EUA há anos. "Eu ensino aos meus filho o que penso. "Eu respeito este país, amo este país, este país me deu uma oportunidade."

No entanto, Anzor Tsarnaev, pai dos suspeitos afirmou que seus filhos saõ inocentes e caíram em uma armadilha. "Meus filhos nunca viram uma arma, só na televisão. Acredito nos filhos, na inocência deles."

Anzor chamou os filhos de "anjos" e pediu que seu outro filho tivesse a chance de se defender. "A Justiça vai decidir quem está certo e quem está errado, mas deixem ele vivo."

Tia

A tia dos suspeitos, Maret Tsarnaeva, exigiu provas de que os sobrinhos estão envolvidos no atentado. Ela disse que o mais velho deles - Tamerlan, que morreu após um tiroteio no MIT - havia se tornado, recentemente, um muçulmano devoto que rezava cinco vezes por dia e tinha abandonado os estudos.

Maret é irmã de Anzor, que, segundo ela, tinha grandes expectativas para os dois garotos e ficou irritado ao saber que Tamerlan havia abandonado a universidade. Maret contou que Tamerlan e Dzhokhar eram inteligentes e esportivos e não passavam por problemas familiares. "Dentro da família, tudo estava perfeito."

Segundo ela, Tamerlan era casado e tinha uma filha de três anos. "Ele tinha uma esposa em Boston e ela é de família cristã, então não podem dizer que isso (atentado) foi motivado pela religião."

Irmã

A irmã dos suspeitos, que mora em New Jersey, disse estar "muito chateada" com a situação e explicou que não estava em contato com seus irmãos, de acordo com o diretor da polícia local. Agentes do FBI estiveram na casa dela e recolheram computadores da residência.

A polícia não divulgou o nome da mulher, mas afirmou que ela está cooperando com as investigações./ AP

Assista a trecho da entrevista de Ruslan Tsarni:

Tudo o que sabemos sobre:
BostonatentadoEUAsuspeitos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.