Paris alerta Chávez por pacto com Irã

Governo francês adverte que transferência de tecnologia nuclear viola resoluções do Conselho de Segurança da ONU

Efe, AP e France Presse, PARIS, O Estadao de S.Paulo

11 de setembro de 2009 | 00h00

O governo francês advertiu ontem a Venezuela a não transferir tecnologia nuclear ao Irã, sob risco de "violar as resoluções do Conselho de Segurança da ONU". Paris não questionou o direito da Venezuela ao uso pacífico da energia nuclear, mas a chancelaria francesa deixou claro que qualquer nação que repassar ao Irã ou receber tecnologia nuclear do país infringirá a resolução 1737, de dezembro de 2006.

A advertência francesa foi feita depois que o presidente venezuelano, Hugo Chávez - que no sábado fez sua oitava visita ao Irã -, declarou que reconhece o "direito" dos iranianos de desenvolver tecnologia nuclear.

Chávez também mencionou a construção de uma "zona nuclear" com ajuda iraniana e contestou a afirmação de autoridades americanas de que Teerã tenha a intenção de fabricar uma bomba atômica.

Ao jornal francês Le Figaro, Chávez qualificou o Irã como um aliado estratégico firme e agradeceu a transferência de tecnologia do Irã para a Venezuela, sem dar muitos detalhes sobre o suposto acordo.

Caracas trabalha em um projeto preliminar para a construção de uma "cidade nuclear" com ajuda iraniana. Para o governo do presidente Nicolas Sarkozy, o armazenamento de urânio enriquecido "sem objetivo civil confiável" é "muito preocupante".

A França também lembrou que "o programa nuclear iraniano provoca preocupação na comunidade internacional".

FUTURO

Em Teerã, o embaixador venezuelano David Velásquez Carballo disse que não existe cooperação nuclear entre os dois países atualmente, mas "poderia haver no futuro".

Ao receber Chávez, o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, pediu que a Venezuela lidere, juntamente com o Irã, uma nova "frente independente". Khamenei afirmou que as sucessivas derrotas sofridas pelos EUA em diversas partes demonstram que "o mundo está passando por uma inegável mudança"."Irã e Venezuela devem elevar seu atual nível de cooperação e esforçar-se ao máximo para incentivar a nova frente independente", disse Khamenei.

COLÔMBIA

A Venezuela impôs ontem restrições às operações de transporte de carga e de passageiros de diversas companhias aéreas colombianas. A empresa Avianca teve várias de suas rotas suspensas. No final de julho, Chávez congelou as relações com a Colômbia, após Bogotá acusar a Venezuela de fornecer armas para as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.