Paris pede que franceses saiam da Costa do Marfim

A França aconselhou os cidadãos franceses que vivem na Costa do Marfim, "em particular as famílias com crianças", a deixarem temporariamente o país africano por causa da "forte crise política". "Embora os cidadãos estrangeiros não tenham sido ameaçados até agora, as autoridades da França renovam seus conselhos (...) a todos os franceses, em particular as famílias com crianças, a deixarem temporariamente a Costa do Marfim", disse o Ministério das Relações Exteriores.

AE, Agência Estado

31 de dezembro de 2010 | 11h13

Cerca de 14 mil cidadãos franceses vivem na ex-colônia francesa, onde Laurent Gbagbo recusa-se a deixar a presidência após seu rival Alassane Ouattara vencer o segundo turno da eleição presidencial, realizada em 28 de novembro.

Gbagbo, que está no poder há dez anos, é apoiado pela maior parte do Exército do país, mas está sob pressão internacional. Ele e seus familiares são alvo de sanções econômicas e de locomoção.

A França já tinha pedido que seus cidadãos deixassem a Costa do Marfim, mas renovou o conselho hoje depois que funcionários da Organização das Nações Unidas (ONU) receberam ameaças de ataque ao hotel onde Ouattara estava sendo mantido sob proteção. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.