Paris quer atrair turistas gays

Paris sempre atraiu visitantes por sua boa gastronomia, alta costura e por sua mística de ser o paraíso dos românticos. Agora, porém, as autoridades do Turismo têm um novo público-alvo: os gays. "Nós queremos criar um espírito ?gay friendly? (?amigável aos gays?) em toda a cidade", diz Laurent Queige, um dos organizadores do projeto. "É uma campanha completa de marketing voltada para o turismo gay: promoções, viagens, passeios, publicações, websites e pacotes turísticos", explica. Os parisienses dizem estar encorajados pela tendência voltada para a tolerância e de combate ao conservadorismo e à homofobia. O prefeito, Bertrand Delanoe, eleito em 2001 mesmo assumindo publicamente sua homossexualidade, costuma apoiar abertamente a causa. Em junho, foi o destaque no carro abre-alas da Parada do Orgulho Gay. Delanoe foi esfaqueado dois meses atrás por um homem que dizia "odiar políticos e homossexuais". O projeto só começará a ser implementado em junho de 2003. Agentes de turismo serão informados com antecedência para conciliar promoções com festivais específicos, como a Parada Gay, em junho - no ano passado, ela atraiu nada menos do que meio milhão de pessoas. Um guia chamado Gay Friendly France está sendo editado e tem lançamento previsto nos EUA para junho, e a Maison de La France de Los Angeles está trabalhando com operadoras de turismo americanas para ajudar a organizar viagens para órgãos da mídia gay a Paris. Paris é a primeira cidade européia a criar uma campanha voltada para o turismo gay. Berlim, Lisboa e Londres sempre incentivaram a vinda de homossexuais (principalmente dos EUA), mas nunca fizeram uma campanha aberta como a de Paris. "Nós o fazemos discretamente", informa a porta-voz do birô de Turismo de Berlim, Natascha Kompatzki, acrescentando que os gays são um "importante grupo" para a capital alemã. A exemplo de Paris, o prefeito Klaus Wowereit também é gay assumido.

Agencia Estado,

12 Dezembro 2002 | 20h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.