Parlamentares chineses apresentam emenda para garantir direito à propriedade

A China está emendando sua constituiçãopara proteger a propriedade privada pela primeira vez desde arevolução comunista de 1949. Um projeto de emenda constitucional apoiado pelo PartidoComunista foi apresentado hoje à legislatura e suaaprovação parecia garantida. Os líderes partidários que controlam a legislatura alegam quea propriedade privada é essencial para o desenvolvimento dasreformas econômicas que permitiram a milhares de chinesesescaparem da pobreza. Eles também enviaram ao Congresso Nacional do Povo umprojeto de emenda para incorporar à constituição as teorias doex-presidente Jiang Zemin, que convidou os capitalistas aentrarem para o partido, informou a agência de notícias NovaChina. Tais mudanças adaptariam a lei chinesa à atual realidade dopaís, cada vez mais orientada pelo mercado. Os empresárioschineses, que desempenham papel fundamental na criação deempregos e na conseqüente geração de riqueza, pediram proteçãoconstitucional ao governo. "A direção (do partido) admitiu que o setor privado será oprincipal motor do crescimento econômico nos próximos anos",disse Joseph Cheng, politólogo da Universidade da Cidade de HongKong. "Creio que exista um forte consenso." Espera-se que a proposta de emenda leve a uma série demudanças legais que facilitem a negociação de imóveis e deoutras propriedades particulares. De acordo com a Nova China, a emenda sobre as teorias de Jiangdiz que elas serão consideradas os princípios regentes da nação,junto com os pensamentos do fundador comunista Mao Tsé-tung e dofalecido líder Deng Xiaoping, que deu início às reformaseconômicas chinesas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.