Parlamentares criticam Ahmadinejad por resposta a tremor que matou mais de 300

O governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad vem sendo criticado pela suposta omissão na ajuda às vítimas dos dois terremotos que, no sábado, mataram 306 pessoas no noroeste do Irã. Na imprensa iraniana, Ahmadinejad foi acusado de não fornecer equipamento adequado para o socorro e de manter uma viagem ao exterior, a despeito da tragédia. No domingo, menos de 24 horas depois do desastre, autoridades encerraram as operações de busca e de resgate, dizendo que todos os sobreviventes haviam sido retirados dos escombros. Moradores da região, porém, afirmaram que o socorro nem sequer chegou às regiões mais remotas atingidas pelos tremores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.