Parlamentares da AL e Europa condenam pena de morte

A XVI Conferência Interparlamentária UE-América Latina condenou hoje de forma "firme" a pena de morte e sua aplicação "em qualquer país do mundo". A referência faz parte das conclusões gerais do evento, que teve duração de três dias, no Parlamento Europeu, em Bruxelas, reunindo cerca de 300 parlamentares da Europa e 17 países latino-americanos.Os parlamentares optaram por retirar a referência de Cuba, que constava no rascunho da declaração. O chileno Jorge Pizarro, presidente alterno do Parlamento Latino-Amerciano (Parlatino), ao responder uma pergunta dos jornalistas, disse que a Conferência condenava a pena de morte não somente em Cuba, mas em quaquer outro país. A referência a Cuba é pelas três execuções, ocorridas começo de abril, dos dissidentes que haviam seqüestrado um barco para tentar fugir para Miami.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.