Parlamentares dos EUA vêem Fidel e opositores

Um grupo de congressistas americanos reuniu-se em Cuba em separado com o presidente Fidel Castro e, mais tarde, com um dezena de dissidentes e opositores do governo castrista. "Temos que trabalhar juntos, deixando para trás a Guerra Fria", disse nesta segunda-feira aos jornalistas o representante democrata William Delahunt, ao ser interrogado sobre as relações entre seu país e Cuba. Delahunt chegou à ilha na quinta-feira passada, junto com outros cinco congressistas, em uma série de visitas de aproximação entre os setores dos Legislativos dos EUA e de Cuba. O representante democrata, que, ao lado dos demais legisladores americanos, regressará nesta terça-feira aos EUA, assegurou que se reuniram no domingo até à madrugada de segunda-feira - por seis horas - com Fidel, conversando sobre temas que vão desde a situação econômica da ilha até as possíveis relações com Washington. No encontro com o governante não se falou, segundo Delahunt, sobre o tema da transferência dos prisioneiros talebans para a base militar americana em Guantánamo. Fidel tem dito que não se opõe a tais planos. Delahunt também se reuniu por quase duas horas, nesta segunda-feira, com uma dezena de opositores - entre eles, Elizardo Sánchez, da reconhecida Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional. Com eles, a comissão legislativa americana conversou sobre a atual situação dos direitos humanos na ilha e sobre sua visão do país.

Agencia Estado,

07 Janeiro 2002 | 17h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.