Parlamentares marcam nova eleição israelense para 17 de março

Convocação de novas eleições começou a tomar forma ontem, quando Netanyahu demitiu dois ministros centristas de seu governo

O Estado de S. Paulo

03 de dezembro de 2014 | 08h52

 JERUSALÉM - Parlamentares israelenses marcaram para 17 de março uma nova eleição parlamentar. Segundo a rádio, a data foi acertada em reunião dos líderes dos partidos no Parlamento. Pouco depois, o Knesset votou em unanimidade por sua dissolução. 

A convocação de novas eleições começou a tomar forma ontem, quando o primeiro-ministro Binyamin Netanyahu, de direita, demitiu  dois ministros centristas de seu governo e pediu a realização de uma eleição antecipada.

O governo de Netanyahu, que foi formado no ano passado, tem travado disputas internas em uma série de questões, incluindo o Orçamento de 2015 e um projeto de lei de Estado judaico que críticos afirmam discriminar cidadãos árabes.

Duas pesquisas divulgadas por emissoras de TV na terça-feira mostraram o partido de Netanyahu, o Likud, como favorito para ser o maior do Parlamento mais uma vez, se as eleições fossem hoje, o que praticamente garante ao premiê um quarto mandato.

A próxima eleição não estava prevista para antes de 2017, mas Netanyahu anunciou que desejava dissolver o Parlamento "o quanto antes possível" e realizar eleições.

Ele também demitiu os ministros das Finanças, Yair Lapid, e da Justiça, Tzipi Livni, os líderes de dois partidos de centro que vinham criticando os membros de direita que predominam no gabinete ministerial. /REUTERS 

Mais conteúdo sobre:
IsraelBinyamin Netanyahu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.