Parlamento aprova coalizão em Israel

O Parlamento de Israel aprovou ontem, por 71 votos a 23, o acordo para a formação de um governo de união nacional alcançado entre o primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, e o líder opositor Shaul Mofaz. Com o pacto, o premiê agora lidera uma das mais amplas coalizões da história de Israel, com 94 dos 120 deputados.

JERUSALÉM, O Estado de S.Paulo

10 Maio 2012 | 03h08

O acerto de Netanyahu com o Kadima fez com que o governo não necessitasse mais dos partidos religiosos e se tornasse menos dependente dos votos do Israel Beiteinu, partido do chanceler Avigdor Lieberman. A nova coalizão permite também que o premiê aprove com mais facilidade a Lei de Igualdade, que acaba com a isenção do serviço militar para os judeus ultraortodoxos.

A união entre Netanyahu e Mofaz eliminou a possibilidade de novas eleições, que seriam convocadas para setembro. O líder do Kadima, um ex-chefe do Estado-maior e ex-ministro da Defesa, foi empossado ontem como vice-primeiro-ministro.

Processo de paz. O acordo prevê o relançamento do processo de paz com os palestinos e assegura o voto do orçamento do Estado para o próximo ano fiscal. Assim, a legislatura será concluída normalmente em outubro de 2013 e Mofaz se comprometeu a permanecer na coalizão até o fim do mandato dos deputados. / REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.