Parlamento aprova lei contra escravidão

O Parlamento da Mauritânia aprovou ontem uma lei tornando a escravidão um crime punível com até 10 anos de prisão. Apesar de a escravidão estar proibida por decreto desde 1981, grupos pró-direitos humanos dizem que centenas de milhares de mauritanos são escravizados - proporcionalmente mais que em qualquer outro país. O governo da ex-colônia francesa prometeu promover a justiça social.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.