Parlamento canadense pode voltar a debater casamento gay

O Parlamento canadense começou a discutir uma moção do Partido Conservador, governista, para reconsiderar a lei de 2005 que legalizou os casamentos entre pessoas do mesmo sexo.O Partido Conservador prometeu durante a campanha eleitoral, que terminou com sua vitória nas urnas, em janeiro, que reabriria o debate sobre a polêmica lei C-38, que legalizou os casamentos homossexuais.A votação, provavelmente nesta quinta-feira, vai decidir apenas se é necessário ou não reabrir o debate. Mas a maioria dos deputados da Câmara dos Comuns é contra voltar a um tema que causou uma polêmica acirrada na sociedade canadense.A moção tem o apoio de alguns deputados do principal grupo da oposição, o Partido Liberal. Mas vários deputados conservadores rejeitam a reabertura do debate.O segundo e o terceiro maiores partidos no Parlamento, o Bloco do Québec e o social-democrata NDP, anunciaram que seus deputados votarão em bloco contra a moção conservadora. Pesquisas apontam que a questão não preocupa os canadenses e que a maioria se opõe a reabrir a polêmica.O governo do ex-primeiro-ministro liberal Paul Martin apresentou em 2005 uma lei que declarava o casamento como "a união de duas pessoas de qualquer sexo" depois de os tribunais supremos da maioria das províncias do país declararem anticonstitucional a definição tradicional.A lei foi aprovada por 158 votos a favor e 133 contra e entrou em vigor em julho de 2005. O Canadá foi o quarto país do mundo a legalizar os casamentos homossexuais, após Holanda, Bélgica e Espanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.