Parlamento censura presidente da Indonésia

Os parlamentares da Indonésia se encontraram hoje para pedir para que o presidente Abdurrahman Wahid seja censurado publicamente por corrupção e má administração, preparando a cena de um possível impeachment de Wahid.Pela constituição indonésia, Wahid terá um mês para responder à repreensão pública. Caso a resposta do presidente não convença os parlamentares, será convocada a Assembléia do Povo, o maior órgão legislativo do país, para que seja iniciado o processo de impeachment.Representantes dos três maiores partidos políticos, que contam com a maioria dos 500 integrantes do parlamento indonésio, procuram tomar medidas contra o governo de Wahid."O presidente perdeu a confiança e o apoio da população", disse Dwiria Latifa, a representante do Partido Indonésio da Luta Democrática (Pild). "Nós desejamos que o parlamento censure o presidente", acrescentou. O Pild é liderado pela vice-presidente Megawati Sukarnoputri, provável sucessora de Wahid e filha de Sukarno, fundador do partido.O Pild, junto com o Partido Golkar e o Partido do Desenvolvimento Unido, alegam que Wahid não consegui se explicar seu envolvimento em dois escândalos de corrupção. Além disso, o presidente é criticado por não ter tomado nenhuma medida contra a crise econômica e por não conter as ondas de violência causadas por grupos separatistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.