Parlamento cubano encerra sessões sem mensagem de Fidel

O oitavo período ordinário de sessões da Assembléia Nacional do Poder Popular (Parlamento) cubano terminou na sexta-feira sem um discurso do presidente interino, Raúl Castro, ou mensagem do líder cubano, Fidel Castro.Com a cadeira normalmente ocupada por Fidel Castro na tribuna de honra vazia, Raúl Castro presidiu a sessão pela primeira vez desde 31 de julho, quando seu irmão anunciou que delegava a ele suas funções pelo fato de ter sido operado por uma doença declarada "segredo de Estado".Embora alguns deputados não tivessem descartado a possibilidade de Fidel falar por telefone com a Assembléia antes do encerramento da sessão, como ocorreu com os presidentes das Assembléias Provinciais (principal órgão de Governo provincial) no último dia 15, o contato acabou não acontecendo.As palavras de encerramento do evento foram pronunciadas pelo titular do Parlamento, Ricardo Alarcón, que denunciou "o interesse histórico" das administrações dos Estados Unidos em acabar com a revolução cubana.Raúl, irmão mais novo de Fidel e ministro da Defesa, fez alguns breves discursos durante a sessão, cujo enfoque foi a difícil situação dos setores de transporte e agricultura cubanos. O presidente interino reconheceu que o sistema de transporte esteve a ponto de entrar em colapso."O transporte praticamente esteve a ponto de colapsar, não sei o quanto estivemos a ponto disso, que é conseqüência de todos estes anos de deterioração. Recuperar isso agora requer muitos recursos, muito tempo", disse Raúl Castro. "Precisamos aplicar uma disciplina rigorosa e indispensável. Sem ela, não avançamos em nada", completou.Numa parte da sessão à qual a imprensa internacional não teve acesso, Raúl Castro afirmou que, além dos setores de moradia e alimentação, o transporte é um dos temas que mais afetam a população cubana.A reunião da Assembléia começou com o anúncio do ministro da Economia e Planejamento, José Luis Rodríguez, que a economia cresceu 12,5% durante 2006, de acordo com os dados de medição da ilha - que outorgam um valor ponderado aos serviços médicos e esportivos que recebe a população, entre outros.As autoridades cubanas fizeram uma análise crítica do desempenho da economia e da capacidade produtiva do país. O próprio Rodríguez afirmou que "estes resultados são insuficientes para conseguir a satisfação das necessidades do povo e assegurar o desenvolvimento".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.