AFP PHOTO / Jonathan NACKSTRAND
AFP PHOTO / Jonathan NACKSTRAND

Parlamento da Catalunha adia sessão de posse de Puigdemont

Premiê Mariano Rajoy afirmou que o líder deposto não pode ser candidato pois está em autoexílio na Bélgica, e alertou sobre as possíveis consequências judiciais caso Roger Torrent permita uma posse não presencial

O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2018 | 10h18

MADRI - O presidente do Parlamento catalão, Roger Torrent, anunciou nesta terça-feira, 30, que a sessão para dar posse ao líder independentista Carles Puigdemont foi adiada, mas informou que não vai propor nenhum outro candidato porque ele "tem todo o direito de tomar posse".

+ Puigdemont pedirá ao Tribunal da Espanha permissão para comparecer ao Parlamento

“A sessão de hoje foi adiada, mas não está cancelada sob nenhuma circunstância. Outro candidato não será apresentado”, disse Torrent em entrevista coletiva.

+ Tribunal espanhol suspende posse de Puigdemont como governador da Catalunha

A sessão plenária está adiada até que se possa assegurar um debate "efetivo e com garantias", dada a situação judicial do candidato, perseguido na Espanha, afirmou Torrent.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, reiterou mais cedo que Puigdemont não pode ser candidato já que está em autoexílio desde que um mandado de prisão contra ele foi emitido pela Justiça espanhola, em razão de uma declaração de independência da Catalunha no fim de outubro.

Rajoy também advertiu Torrent sobre as possíveis consequências judiciais caso permita uma posse não presencial de Puigdemont, algo proibido pelo Tribunal Constitucional.

Em uma entrevista à emissora TVE, Rajoy lembrou que o Tribunal Constitucional proíbe uma posse a distância de Puigdemont, e se Torrent permitir tal situação, "incorreria em responsabilidades por não cumprir uma resolução dos tribunais". / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.