Parlamento da França fará votação simbólica sobre Estado palestino

Votação quer saber se governo deveria reconhecer a região como Estado independente, o que poderia auxiliar no processo de paz

O Estado de S. Paulo

12 Novembro 2014 | 16h55

PARIS - O Parlamento da França se prepara para realizar uma votação simbólica no mês que vem para saber se o governo deve reconhecer o Estado da Palestina. Atualmente, Paris não reconhece a região como Estado independente, mas diz que isso pode mudar se ficar claro que pode auxiliar no processo de paz entre palestinos e Israel.

No mês passado, a Suécia reconheceu a Palestina como Estado independente, tornando-se o primeiro país da União Europeia a tomar a decisão. Também em outubro, o Parlamento britânico realizou uma votação não-vinculativa e aprovou o reconhecimento da Palestina. Outros movimentos semelhantes foram propostos na Espanha e na Irlanda.

O debate e votações ocorrerão nos dias 28 de novembro, na Assembleia Nacional Francesa, e 11 de dezembro, no Senado. A Assembleia precisa ratificar a moção.

O Bloco Socialista e o Partido Frente de Esquerda apresentaram a proposta pedindo para o governo "usar o reconhecimento do Estado palestino como instrumento para alcançar definitivamente uma solução para o conflito" na região.

Não está claro quais parlamentares poderiam votar a favor do reconhecimento, fato que tem causado descontentamento de políticos pró-Israel. Mesmo que seja aprovada, a moção tem caráter não-vinculativo, portanto, não obriga o governo a mudar sua posição diplomática.

O Ministério de Relações Exteriores francês afirmou nesta quarta, sem comentar diretamente a votação, que é urgente retomar as negociações de paz que levem a um Estado palestino. "A França é a favor da solução de dois Estados. Solução que implica em um reconhecimento do Estado palestino", disse o porta-voz Romain Nadal. /REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Estado da PalestinaFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.