Parlamento da Ucrânia aprova destituição do presidente

O parlamento da Ucrânia votou pela destituição do presidente, Viktor Yanukovych, e marcou novas eleições para o dia 25 de maio. A aprovação ocorre após o presidente dizer que não iria respeitar as decisões dos legisladores do país e sair de Kiev em direção ao interior do país.

AE, Agência Estado

22 de fevereiro de 2014 | 13h05

Mais cedo, Yanukovych afirmou em entrevista a uma TV da cidade de Kharkiv, no leste do país, que irá permanecer no poder e que as manifestações que tomaram conta da capital do país são claramente uma tentativa "de golpe de estado".

"Eu não tenho planos de deixar o país e também não tenho planos de renunciar. Eu sou o presidente legalmente eleito e todos os intermediários internacionais com quem eu falei nos últimos dias me deram garantias de segurança", disse Yanukovych.

A fala de Yanukovych contra os protestos ganhou hoje o apoio do ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov. O chanceler russo emitiu neste sábado um comunicado no qual diz que a oposição ucraniana quer que o seu país descumpra os acordos com a Rússia. Lavrov disse também que os atos anti-governo representavam uma "ameaça direta à soberano e à ordem constitucional do país".

Por outro lado, ministro das Relações Exteriores da França, Laurent Fabius, elogiou o fato de tanto o governo quanto a oposição da Ucrânia terem respeito o acordo selado ontem e terem evitado a violência. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Ucrâniapresidentedestituição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.