Eyad Baba/AP
Eyad Baba/AP

Parlamento de Israel veta manutenção de assentamento

Suprema Corte afirmou que posto avançado de Ulpana é ilegal porque foi construído em terras palestinas privadas

AE, Agência Estado

06 de junho de 2012 | 10h37

TEL-AVIV - O Parlamento de Israel abriu caminho esta quarta-feira, 6, para a demolição de um posto avançado ilegal na Cisjordânia, ao rejeitar o projeto de legisladores radicais para evitar sua destruição. A votação poderia definir o cenário para um confronto entre o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e colonos judeus radicais e seus partidários no governo.

Veja também:

linkIsrael devolve restos mortais de militantes palestinos

video Colonos israelenses pedem que Netanyahu não destrua assentamentos

A Suprema Corte afirmou que o posto avançado de Ulpana é ilegal porque foi construído em terras palestinas privadas e deve ser demolido até 1º de julho. Parlamentares radicais apresentaram a lei nesta quarta-feira numa tentativa de manter os cinco prédios de apartamentos, que abrigam cerca de 30 famílias, intactos e indenizar os proprietários palestinos. Mas a medida foi derrotada por 69 votos a 22.

Netanyahu foi contrário à lei. Em vez disso, ele quer transportar os prédios e movê-los fisicamente para um assentamento próximo.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.