Parlamento do Iraque aprova lei que criará regiões autônomas

O Parlamento do Iraque aprovou nesta quarta-feira umprojeto de lei que permitirá criar regiões autônomas no país, apesarda oposição da minoria árabe sunita e da ausência de quase metadedos parlamentares iraquianos. Em uma sessão que teve a participação de 138 dos 275 deputados daCâmara iraquiana, todos os presentes votaram a favor da lei, quealtera o limite das competências que as 18 províncias iraquianaspodem ter. A sessão, que não foi transmitida ao vivo pela televisão públicairaquiana, como estava previsto, contou apenas com a presença dealguns deputados da governista Aliança Unida Iraquiana (AUI), daAliança Curda e da Aliança Iraquiana Unida, esta última lideradapelo ex-primeiro-ministro Iyad Allawi. Como combinado anteriormente entre os grupos, cada uma dasdisposições do projeto de lei foi votada separadamente. Apesar do acordo, a nova lei foi aprovada em meio ao boicote dosprincipais partidos árabes sunitas - que rejeitam que o Iraque setransforme em um Estado federalista e não foram ao plenário - e aausência de dois dos grupos xiitas que integram a AUI. No entanto, os deputados concordaram que a lei entrará em vigorno prazo de um ano e meio, a partir desta quarta-feira, como pediu a Frente doConsenso Iraquiano, que reúne os principais partidos árabes sunitase cujos 44 legisladores não se apresentaram na sessão. Também não participaram os 22 parlamentares que representam osseguidores do clérigo radical xiita Moqtada al-Sadr nem os doPartido Al-Fadila, também xiita, ambos parte da AUI. A lei, apresentada no Parlamento pelo líder da Aliança Supremapara a Revolução Islâmica no Iraque, principal grupo da AUI, AbdulAziz al-Hakim, inclui a criação de uma região autônoma nas noveprovíncias de maioria xiita do sul do Iraque, ricas em recursosPetrolíferos. Os partidos árabes sunitas, cuja população se concentra nasprovíncias que carecem de petróleo, manifestaram sua rejeição aosistema federal por medo de que os recursos do petróleo não sejamdistribuídos entre todas as regiões do Iraque, que depende em 95%das exportações do produto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.