Parlamento do Quirguistão aprova fim de base dos EUA

Local é considerado fundamental para as operações americanas na guerra do Afeganistão

Agências internacionais,

19 de fevereiro de 2009 | 07h47

O Parlamento do Quirguistão aprovou nesta quinta-feira, 19, o rompimento do acordo com Washington para o uso da base aérea de Manas, a última americana na Ásia Central e fundamental para as operações dos Estados Unidos no Afeganistão. O projeto de lei foi aprovado por maioria arrasadora. A partir da promulgação da lei, os EUA terão 180 dias para deixar a base de Manas.   O fim do acordo com os EUA já havia sido apoiado por três comissões parlamentares, as de Assuntos Internacionais, Defesa e Constitucional. No último dia 3, o presidente do Quirguistão, Kurmanbek Bakiyev, já havia anunciado o fechamento da base de Manas, o que coincidiu com a doação da Rússia de US$ 2 bilhões ao país asiático.   Apesar de as autoridades do Quirguistão afirmarem que na decisão de fechar a base pesam as causas econômicas, a Rússia negou que haja ligação entre a medida e o empréstimo. O ex-presidente do Quirguistão Askar Akáiev cedeu às tropas americanas a base de Manas em 4 de dezembro de 2001, como ponte para a operação antiterrorista americana no Afeganistão. A base acolhe mil soldados americanos, além de vários aviões de transporte militar, vitais para a provisão das tropas desdobradas no Afeganistão.

Tudo o que sabemos sobre:
QuirguistãoEUAAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.