REUTERS/Juan Medina
REUTERS/Juan Medina

Parlamento espanhol concede novo mandato a Rajoy e encerra impasse do governo

Primeiro-ministro recebeu voto de confiança, mas terá dificuldades de aprovar leis porque seu partido não tem maioria na Casa

O Estado de S. Paulo

29 Outubro 2016 | 16h53

MADRI - O Parlamento da Espanha concedeu neste sábado, 29, um segundo mandato de primeiro-ministro ao líder conservador Mariano Rajoy. O voto de confiança foi dado após 170 votos a favor, 111 contra e 68 abstenções. 

A Espanha passou os últimos 10 meses em um impasse eleitoral e deve ter neste sábado seu primeiro dia de governo em total funcionamento. O resultado é uma vitória para Rajoy, de 61 anos.

A votação desta tarde ocorreu depois de duas eleições inconclusivas e infrutíferas tentativas de coalizão com partidos pequenos, mas não garante estabilidade política. O fraco governo de minoria de Rajoy deve sofrer daqui para frente para aprovar leis.

O partido Socialista, de oposição, instruiu seus integrantes a se absterem do voto parlamentar de confiança, o que ajudou Rajoy, primeiro-ministro interino desde dezembro, ser confirmado como líder da administração.

Depois de vencer a eleição de 2011, Rajoy cortou gastos públicos para enfrentar o crescimento da dívida enquanto a Espanha passava por uma grave recessão. O desemprego subiu a 27% e os bancos do país precisaram de um resgate de 41 bilhões de euros da União Europeia.

Com isso, os eleitores puniram o Partido do Povo (PP) de Rajoy, mesmo com a posterior recuperação da economia, retirando-lhe a maioria absoluta.

Mas o PP ainda teve mais votos nas eleições de dezembro e junho, e Rajoy resistiu aos apelos de partidos rivais para se afastar e permitir que outro líder do PP tentasse formar uma coalizão. Ele agora terá que negociar com seus adversários políticos para ganhar qualquer aprovação legislativa, inclusive sobre o orçamento, já que o PP tem apenas 137 assentos do total de 350 do Parlamento. /REUTERS

Mais conteúdo sobre:
EspanhaMariano Rajoy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.