REUTERS/Susana Vera
REUTERS/Susana Vera

Parlamento espanhol volta rejeitar posse do conservador Mariano Rajoy

Líder do conservador Partido Popular obteve os mesmo 170 votos a favor e 180 contra que conquistara na primeira votação, na quarta-feira; partidos terão prazo de dois meses para tentar formar novo governo e evitar a realização de novas eleições

O Estado de S. Paulo

02 de setembro de 2016 | 18h16

MADRI - O Parlamento espanhol rejeitou nesta sexta-feira, 2, pela segunda vez dar um voto de confiança ao conservador Mariano Rajoy, líder do Partido Popular (PP),  para formar um novo governo, prolongando a paralisia política em que está mergulhada na Espanha há mais de oito meses.

Rajoy, que ocupa o cargo atualmente de forma interina após tê-lo exercido em mandato de quatro anos entre 2011 e 2015, recebeu 170 votos a favor e 180 contra, repetindo o resultado da primeira votação da quarta-feira na Câmara Baixa de 350 deputados. 

A favor do presidente interino votaram os deputados de seu partido, PP, de centro-direita (137), o liberal Ciudadanos (32) e uma deputada das ilhas Canárias. Os votos contrários foram do socialista PSOE (85), a coalizão de esquerda Unidos Podemos (71) e 24 parlamentares de várias legendas nacionalistas.

Rajoy tornou-se assim o segundo candidato da história recente espanhola a ter posse rejeitada pelo Congresso, como havia ocorrido em março com o líder do PSOE, Pedro Sánchez. Os dois foram os únicos candidatos que passaram por tentativas de destravar a indefinição política na Espanha.

Segundo a Constituição espanhola, após a derrota de Rajoy se abre um período legal de dois meses nos quais o rei Felipe VI poderá propor novos nomes para a candidatura a chefe de Governo, mas se este prazo se encerrar sem um premiê eleito, o parlamento será dissolvido, e novas eleições legislativas serão convocadas para dezembro.

Enquanto isso, Rajoy se mantém como primeiro-ministro interino, com funções limitadas. / EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.