Parlamento Europeu: ajuda ao governo do Hamas só com fim da violência

O Parlamento Europeu (PE) - que ao lado do Conselho Europeu (CE) é um dos órgãos responsáveis pelo Orçamento da União Européia - decidiu nesta quinta-feira que só manterá a ajuda à Autoridade Nacional Palestina (ANP) caso o governo do Hamas renuncie à violência e reconheça Israel.O plenário da Eurocâmara aprovou por grande maioria uma resolução na qual expressa seu respeito aos resultados das eleições que deram a vitória ao movimento radical islâmico na ANP. No entanto, pede ao Parlamento palestino e ao futuro governo que "reconheçam inequivocamente o direito à existência do Estado de Israel, renunciem a toda forma de terrorismo e comprometam-se com os avanços atuais do Mapa do Caminho (para alcançar a paz na região) e com o princípio de negociação pacífica para obter a coexistência de dois Estados".Na resolução, o PE reafirma o compromisso da UE de se manter como principal colaborador da ajuda à ANP, mas alerta que isso "dependerá da renúncia do governo à violência e seu reconhecimento da paz".Na segunda-feira o Conselho de ministros de Exteriores da UE também condicionou a continuidade da ajuda ao fim da violência, ao reconhecimento de Israel e ao cumprimento dos acordos assinados pela ANP durante o governo da Fatah.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.