Parlamento Europeu rejeita proibição de clonagem humana

O Parlamento Europeu votou hoje contra uma resolução que proibia a clonagem humana na União Européia. A votação, 316 a 37, representou uma grande derrota para aqueles que se opõem ao uso de embriões no processo de clonagem humana. Outros 47 parlamentares se abstiveram de votar.O rechaço à resolução constitui também um revés para toda nova proposta legislativa de normas unificadas sobre clonagem nas 15 nações que compõem a UE. "Praticamente todo mundo estava insatisfeito com algo", disse Robert Goebbels, titular do comitê parlamentar especial sobre genética humana, que apresentou a resolução. "Todos os grupos políticos rechaçaram o informe".O deputado conservador italiano Francesco Fiori, autor da resolução, pediu para que algo seja feito imediatamente para que sejam estabelecidas normas sobre o assunto. "Há uma vontade comum de não abandonar isto. Trata-se de uma questão muito importante", disse Fiori.Nove países da UE já promulgaram leis que proíbem a pesquisa de células-tronco e embriões humanos.A resolução, baseada em um informe do comitê presidido por Goebbel, aconselhava a UE a aplicar normas restritivas para a pesquisa de embriões humanos. "O respeito à dignidade humana estabelece que as pessoas não podem ser reduzidas a seus aspectos biológicos, ou avaliadas exclusivamente com base em critérios biológicos", afirmava a resolução derrotada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.