Parlamento indonésio prepara impeachment de Wahid

A Assembléia Legislativa Popular da Indonésia aprovou neste sábado o início imediato dos procedimentos de impeachment contra o presidente Abdurrahman Wahid. A medida foi anunciada horas depois de o presidente ter anunciado que não iria participar das sessões de seu julgamento político. Os parlamentares indonésios disseram que Wahid pode ser deposto dentro de alguns dias. Ele será substituído pela vice-presidente indonésia, Megawati Sukarnoputri. O início do processo de impeachment foi aprovado por 592 dos 700 parlamentares da Indonésia. Apenas cinco votaram contra o processo e os restantes se abstiveram da votação. Um bloco formado por 38 parlamentares que representam os militares e a polícia local votou a favor do julgamento de Wahid. A Assembléia ordenou que Wahid compareça na segunda-feira para se defender das acusações de corrupção e improbidade administrativa que pesam contra ele. Wahid, entretanto, disse que não irá se manifestar. "Não participarei desta reunião ilegal", disse. "Isto é um ato de traição", acrescentou. O presidente indonésio, porém, conteve as ameaças de decretar um estado de emergência e fechar o Parlamento - uma medida que nem mesmo os militares apóiam. "Mas eu tenho muitas opções", disse. "Eu não vou dizer o que vou fazer. Mas eu farei alguma coisa." Wahid deve tentar alguma manobra política para se manter na presidência até o dia 31 de julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.