Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Parlamento inglês aprova nova frota de submarinos nucleares

Legisladores britânicos aprovaram na quarta-feira, 14, um plano governamental para substituir a tropa de quatro submarinos armados, os ´Trident´, uma vitória crucial para o primeiro-ministro inglês, Tony Blair.A proposta de Blair, de custo estimado de £20 bilhões, sobreviveu à oposição de 95 partidários do premiê, tornando esta a maior revolta interna do partido desde a guerra do Iraque.Legisladores votaram 409-161 a favor do plano, seguindo um debate em que oponentes apontavam o programa como possível maneira de alimentar as ambições nucleares armamentistas do Irã e de outros países.Mas Blair disse à Câmara dos Comuns antes da votação que os submarinos nucleares britânicos - que serão utilizados até 2022 - devem ser repostos para encarar possíveis ameaças futuras."Eu acho que é certo decidirmos agora começar a repor os submarinos Trident e acho que é essencial para a segurança em um mundo incerto", disse Blair. "Como é impossível predizer o futuro, uma coisa certa é a imprevisibilidade dele".O governo foi apoiado pelo o partido conservador de oposição. O ex-líder William Hague disse que se não renovassem as defesas nucleares, o Reino Unido seria forçado a depender da França ou dos EUA. Manifestações marcaram o dia da votação. Do lado de fora do parlamento de Londres, opositores da medida expressavam sua indignação pelas ruas. A cantora pop Annie Lennox, Bianca Jagger (ex-mulher do frontman dos Rolling Stones, Mick Jagger) e Vivienne Westwood, estilista britânica, estavam presentes na manifestação.O Partido Trabalhista abandonou sua política de desarmamento nuclear unilateral no final dos anos 80, mas significantes membros do partido continuam a pressionar o Reino Unido a desfazer seu arsenal nuclear.Assim que o debate começou, o legislador trabalhista Jeremy Corbyn disse que o plano do governo de repor o sistema de defesa nuclear é "contrário a todo o espírito de não-proliferação da ameaça". A secretária do Exterior, Margaret Beckett devolveu: "Isso é uma declaração completamente sem sentido".Os parlamentares do partido de Blair planejaram uma rebelião contra a proposta, mas Nigel Griffiths renunciou ao seu cargo de deputado na terça-feira para poder votar contra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.