Parlamento irlandês será dissolvido após votar orçamento

O primeiro-ministro da Irlanda, Brian Cowen, anunciou hoje que pedirá a dissolução do Parlamento do país no Ano Novo, após o voto sobre o orçamento irlandês, que deverá ocorrer em 7 de dezembro. Segundo Cowen, é crucial para a Irlanda resolver a questão orçamentária. Cowen disse que não renunciará, apesar de pressões que partem de dentro do próprio governo, porque ele está determinado a aprovar o orçamento de emergência que cortará 6 bilhões de euros (US$ 8,2 bilhões) do déficit de 2011. Ele afirmou que espera apoio do Parlamento para aprovar o orçamento. Cowen também reafirmou sua determinação em ficar no poder o suficiente para obter o acordo com a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI), que viabilizará um pacote de cerca de 100 bilhões de euros (US$ 140 bilhões) em socorro ao governo irlandês.

AE, Agência Estado

22 Novembro 2010 | 19h31

Cowen falou apenas algumas horas após seu parceiro sênior na coalizão, o Partido Verde, ter anunciado que planeja forçar o governo ao colapso político logo após a votação do orçamento e do pacote de socorro. Cowen teve uma reunião com parlamentares do seu partido, o Fianna Fail, e vários deles disseram que o premiê perdeu a credibilidade e deveria renunciar imediatamente para o bem da Irlanda. Mas Cowen reagiu, surpreendendo muitos que esperavam que ele renunciasse, já abalado por dois anos de crise econômica na Irlanda. "A questão mais importante agora é aprovar o orçamento em 7 de dezembro. Não fazer isso iria prejudicar gravemente os nossos interesses", disse.

Mais cedo, a União Europeia explicou os motivos de ter tomado a decisão de socorrer a Irlanda. Um porta-voz da UE, Amadeo Altafaj Tardio, disse que as decisões tomadas pelos ministros das finanças para dar assistência à Irlanda foram elaboradas para evitar contágio ao resto dos países da zona do euro. "É elaborado também para reforçar a confiança", acrescentou. O porta-voz disse ainda que cabe ao governo irlandês decidir se elevará impostos em seu plano de consolidação. Qualquer aumento dos impostos corporativos também é uma decisão do governo irlandês, notou o funcionário.

No final da manhã de hoje, o Partido Verde da Irlanda - parceiro do governo de coalizão - pediu que sejam realizadas eleições gerais na segunda quinzena de janeiro de 2011. O líder do partido, John Gormley, disse ter informado ao primeiro-ministro Cowen sobre a decisão. Gormley defendeu que é necessária a realização de eleições gerais para dar ao povo irlandês uma certeza política.

Segundo ele, o governo deve entregar um plano orçamentário de quatro anos, um orçamento para 2011 e garantir apoio financeiro da União Europeia e do FMI. O governo irlandês é uma coalizão formada pelo Partido Fianna Fail, o maior no grupo, pelo Partido Verde, segunda maior representação, e por legisladores independentes. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.