Parlamento israelense inicia legislatura

O Parlamento israelense (Knesset) inicia hoje sua 17ª legislatura com uma cerimônia que será presidida pelo decano dos deputados, Shimon Peres, e que vai marcar a chegada ao poder do partido Kadima. A cerimônia vai começar com a chegada do presidente Moshé Katsav à sede do Parlamento, escoltado por uma unidade da guarda presidencial. Segundo a imprensa israelense, por volta das 16h (10h de Brasília), Shimon Peres, o mais velho dos deputados, vai entrar na câmara. Logo em seguida, o presidente dará início à cerimônia batendo três vezes com uma maça sobre o palanque do presidente do Parlamento. A cadeira do primeiro-ministro Ariel Sharon ficará vazia durante o ato, e não será ocupada por nenhum deputado até a formação do novo Governo. A deferência atende a um pedido do futuro primeiro- ministro, Ehud Olmert, que sucedeu Sharon na chefia do recém-criado partido Kadima, que recebeu a maioria dos votos nas eleições gerais de 28 de março. Os 120 deputados de 12 partidos vão assumir seus postos dizendo: "juro solenemente lealdade ao Estado de Israel e o cumprimento fiel da minha missão na Knesset". Haverá 41 são novatos. Entre eles, os sete deputados do Partido dos Aposentados, que pela primeira vez faz parte do Parlamento, e os membros do Kadima, que elegeu 29 representantes. Além disso, 17 mulheres (14% do total) farão parte da nova câmara. Uma delas é a árabe Nadia Hilu, do Partido Trabalhista. Para amenizar a cerimônia, o cantor israelense Hanan Yovel vai cantar duas músicas. Depois de uma recepção, começará a primeira sessão do Parlamento. Segundo a rádio pública israelense, o deputado Zevulun Orlev, da coalizão de extrema direita União Nacional-Partido Religioso Nacional, não vai esperar a formação do novo Governo para iniciar seu trabalho de oposição. Ele vai pedir a dissoluçãoda câmara hoje mesmo. "O Kadima está formando um Governo fajuto, sem ideologia, que já começou a balançar e não vai durar muito", afirmou.

Agencia Estado,

17 Abril 2006 | 04h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.