Parlamento japonês nomeia novo primeiro-ministro

A Câmara Baixa do Parlamento japonês nomeou nesta quarta-feira Yukio Hatoyama como novo primeiro-ministro do país, medida que resultará na primeira mudança de governo por um partido político com maioria sólida em mais de um século. A Câmara Alta agora votará a indicação e também deve eleger Hatoyama, mas em qualquer caso a decisão da Câmara Baixa tem precedência, o que significa que Hatoyama, presidente do centro-esquerdista Partido Democrático do Japão (PDJ), será o chefe de governo do Japão, aos 62 anos.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

16 de setembro de 2009 | 04h26

A ascensão do PDJ marca o fim do governo quase ininterrupto do Partido Liberal Democrático (PLD), no poder desde 1955. Embora o PLD, juntamente com a burocracia financeira, tenha ajudado a engendrar a recuperação econômica do Japão no pós-guerra, o partido não teve o mesmo sucesso depois do estouro da bolha de ativos no começo dos anos 90. O partido também foi alvo de uma série de escândalos financeiros que minaram a confiança do eleitor.

A coalizão de governo planejada por Hatoyama, com seus dois parceiros menores - o Partido Democrático Social e o Novo Partido do Povo - deve tentar estimular a demanda doméstica pela transferência de dinheiro às famílias com filhos, o corte nas tarifas de pedágio e da gasolina e a oferta de uma ajuda maior aos desempregados, entre outras políticas.

O novo governo também deve rever seus laços com os EUA e a Ásia, e fazer dos políticos os principais condutores da nova política, em vez da sólida burocracia do país. O anúncio do novo gabinete de Hatoyama ocorrerá depois da votação na Câmara Alta, ainda nesta quarta-feira. O ministro das Finanças deverá ser Hirohisa Fujii, que ocupou o cargo no início da década de 90. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãopolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.